sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Sem noção

Eu sei que ando muito gramatiqueiro nos últimos dias, mas tem coisas que me dão comichão de tão incoerentes, absurdas ou ridículas que são. Tipo o quadro televisivo Sem noção, do Jornal Liberal, 1ª Edição.

Apesar de ainda não catalogada "oficialmente", a grande maioria dos registros dessa expressão aponta os "sem noção" como pessoas sem discernimento ou consciência de algo perigoso, ilícito ou inconveniente; são os chamados "burros", "bobos da corte" ou "malas-sem-alça", no português claro. Costuma ser usado em expressões do tipo - O sem noção veio ao tribunal de bermuda. Ou - Viu que piada sem noção ao futuro sogro?!.

De forma que um motoqueiro andando sem capacete e com quatro pessoas em sua moto não me parece alguém sem discernimento ou consciência do seu comportamento ilícito e perigoso. Trata-se de um sujeito irresponsável mesmo, e bem consciente de que está cometendo uma transgressão, ao colocar em risco a vida de várias pessoas. Tem discernimento suficiente para saber que está transgredindo uma norma de amplo conhecimento, e o faz de forma deliberada.

Portanto, editores do JL1, fica aqui uma dica - ao invés de "perder o amigo, mas não perder a piada", troquem o nome desse quadro, por favor. Não quero ficar tendo comichão todos os dias na hora do almoço. Não quero ter uma congestão antes dos quarenta.